Transfobia já matou 57 mulheres trans no Paquistão

0
138

Ativistas dos direitos humanos e LGBT estão protestando no Paquistão.

No último dia 4 de maio, atiraram e mataram Muni, uma garota transgênero da província de Khyber Pakhtunkhwa.

Ela é a quarta garota transgênero a ser torturada e baleada só em 2018, sendo a 57ª desde 2015, quanto este tipo de crime começou a ser contabilizado no país.

(continua abaixo)

Vídeo novo:



Mulher transgênero paquistanesa.

O Paquistão tem evoluído em questões de direitos humanos e diversidade, como em relação a transexualidade.

No início deste ano, por exemplo, o Senado do Paquistão votou por unanimidade uma série de proteções legais à população transgênero. Algumas das medidas foi impedir que mulheres trans façam parte do alistamento obrigatório como escoteiro para homens em troca de se tornarem voluntárias em Meca.

Todo avanço entretanto, ainda não impediu manifestações de ódio e preconceito por parte da sociedade conservadora do país.

Pessoas LGBT continuam sendo mortas e vítimas de violência, e o país claramente ainda precisa de novas leis, principalmente que garantam a segurança destes cidadãos.

Comentários: