PREP já está disponível em 12 cidades brasileiras; saiba quais

0
27
Publicidade

A partir do último dia 1ª de Dezembro – exatamente no Dia Mundial de luta contra HIV e AIDS – o SUS começou a disponibilizar a Prep, terapia que já é adotada em países como Suécia, Estados Unidos, Canadá, França e Reino Unido, através da qual pode-se, com medicação diária, prevenir a contaminação pelo vírus do HIV.

A princípio, a medida estará disponível em 12 cidades brasileiras na rede pública de saúde – SUS. A intenção é que a distribuição comece com testes em grandes centros urbanos, mas aumente e passe a atingir todo território do país gradativamente em um futuro próximo.

(continua abaixo)


Vídeo novo:



Fazem parte do primeiro passo do programa as cidades de Porto Alegre, Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Ribeirão Preto, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Salvador, Fortaleza, Brasília e Manaus.

Inicialmente, a distribuição será focada em segmentos da população que apresentem maior risco de aquisição do HIV estatisticamente, como gays, bissexuais, casais sorodiferentes e transgêneros.

No Brasil, há 830 mil pessoas vivendo com a infecção. A estimativa é que tenham ocorrido 48 mil novos casos em 2016. Com a nova maneira de prevenção, é provável que o número se reduza ano a ano, como já acontece no Reino Unido por exemplo, que teve queda de 20% dos novos casos de HIV no último ano principalmente pelo uso da Prep.

Mas como funciona a Prep? É relativamente simples e bem seguro. Pessoas não infectadas devem tomar diariamente um único comprimido que reduz o risco de contaminação pelo HIV. O medicamento bloqueia o ciclo da multiplicação desse vírus, impedindo a infecção do organismo. Se já está sendo administrado quando a pessoa for infectada, impede a multiplicação no corpo, bloqueando o vírus no corpo em sua origem.

Durante a terapia, é necessário acompanhamento médico por conta de possíveis efeitos colaterais que acontecem em alguns pacientes. Podem acontecer enjôos e dores de cabeça a perda de peso, ainda que a medicação, cada vez mais moderna, apresente cada vez menos efeitos colaterais.

Dos mais de 150.000 casos de administração da Prep, houve apenas 3 registros de aquisição do vírus no mundo, em casos raros de mutação do vírus que se tornou mais forte que a medicação. A notícia assusta a princípio, mas estatisticamente, é menos de 0,02% dos casos, ou seja, uma proteção que estatisticamente é maior que a oferecida até pela camisinha, que garante 99% de chance de evitar o contágio our ISTs, e neste caso também, gravidez indesejada.

Além do SUS, o medicamento deve ser comercializado na rede privada, com a exigência de apresentação de receita médica. Um frasco com 30 comprimidos vai custar R$ 290.

Outra maneira de prevenção do HIV caso você tenha tido uma relação de risco é a PEP que deve ser rapidamente administrada até 72 horas após a possível exposição ao vírus no corpo. Conheça mais no vídeo abaixo:

Veja também:

Deixe um comentário