PM expulsa soldado gay que denunciou homofobia e perseguição na corporação

0
219

O soldado Adriell Rodrigues Alves da Costa, de 35 anos, trabalhava como policial militar há 9 anos e acaba de ser expulso da corporação após acusar os oficiais do 39º Batalhão da Polícia Militar de homofobia, perseguição e tortura.

Em um vídeo gravado e compartilhado em suas redes sociais, ele fez a denúncia onde afirmou: “Se algo acontecer com a minha vida, integridade física, a responsabilidade é do comandante do batalhão da Polícia Militar e do Estado, que nada fizeram para apurar as minhas denúncias.”

Ex-PM Adriell Rodrigues Alves da Costa, expulso da polícia após denunciar homofobia.

As denúncias eram de que o batalhão onde ele trabalhava, em São Vicente, o perseguia em razão de sua orientação sexual: “Escutava de um cabo que não era homem, que não agia como um! Minha vida era um inferno e isso começou após eu ter sido transferido para trabalhar na baixada santista”.


Vídeo novo:



Seis meses após a publicação das denúncias, a PM decidiu expulsá-lo considerando que seu ato foi uma “transgressão disciplinar de natureza grave”.

Em seu vídeo ele ainda afirma estar com medo do que pode acontecer com a sua vida após a denúncia: “A PM destruiu a minha vida. Temo pela minha integridade física. Temo que me matem para calar todo o mal que me fizeram. Eles provaram que não têm escrúpulos algum. Se alguma coisa acontecer comigo, foi o Estado de São Paulo e a Polícia Militar que fizeram mal”, disse.

Comentários: