E como era previsto, o grupo conservador americano One Million Moms lançou um boicote ao Disney Channel por exibir, pela primeira vez, um romance gay na série infanto-juvenil, “Andi Mack”. A emissora anunciou no início da semana passada que a segunda temporada da trama teria o personagem Cyrus Goodman, de 13 anos, interpretado por Joshua Rush, que desenvolve sentimentos pelo amigo Jonah (Asher Angel) e começa uma jornada de autodescoberta.

Os espectadores viram Cyrus confiar seus sentimentos à amiga Buffy na estreia da segunda temporada, que aconteceu nesta sexta-feira (27), enquanto os episódios posteriores mostraram o garoto lutando sobre os seus sentimentos em relação à sua nova namorada.

No entanto, o enredo provocou uma polêmica previsível entre os homofóbicos infelizes com o tratamento – por mais sensível que seja – de problemas LGBT em um canal de televisão dedicado a uma programação infantil. One Million Moms, um grupo que é dedicado a “combater a indecência”, lançou uma petição para que a Disney deixasse de transmitir “Andi Mack” imediatamente.

“Pode-se questionar por que a Disney Channel sente a necessidade de prosseguir com essa programação”, afirmou o grupo em um comunicado oficial. “Por que? O que há de errado em ter um conteúdo familiar que é aceitável para todas as idades ou mesmo deixar um par de redes para o entretenimento infantil?”.

O texto ainda continua sugere que a atitude de inserir um personagem gay na série possa ser meramente um interesse financeiro.

“Ao escolher abandonar o entretenimento familiar, a escolha inexplicável da Disney para se mover para uma faixa etária mais ‘adulta’ pode, em última análise, ser um grande erro.”

E a coisa vai piorando: “O Disney Channel está deliberadamente escolhendo ‘avançar’ e promover conteúdo adulto para crianças. Ao escolher mover-se na direção de mais histórias e conteúdos adultos, o Disney Channel – e todo o império da mídia da Disney – podem estar escolhendo sacrificar algo muito mais precioso: a inocência das crianças”, finaliza.

Quando o primeiro episódio da série foi exibido em abril deste ano, ele foi centrando na personagem titular Andi, vivida pela atriz Peyton Elizabeth Lee, uma menina que descobre que sua irmã mais velha é na verdade sua mãe. A emissora disse anteriormente em um comunicado que a série é apenas uma história sobre adolescentes descobrindo quem eles são.

“Terri Minsky [criador da série], o elenco e todos os envolvidos no programa têm um grande cuidado em garantir que seja apropriado para todos os públicos e envie uma mensagem poderosa sobre inclusão e respeito pela humanidade.”

Sarah Kate Ellis, presidente da GLAAD [Gay & Lesbian Alliance Against Defamation, uma ONG americana que monitora a maneira como a mídia retrata as pessoas LGBT], explicou que o argumento gay inovador do show traz modelos positivos para crianças e espectadores adultos.

“Com mais e mais jovens saindo do LGBTQ, ‘Andi Mack’ está refletindo as vidas e experiências de muitos jovens em todo o país”, disse ela. “A televisão reflete o mundo da vida real e hoje inclui jovens LGBTQ que merecem ver suas vidas retratadas em seus programas de TV, filmes e séris favoritos. A Disney tem sido uma líder na inclusão do LGBTQ e há tantos jovens que ficarão ansiosos para ver a história de Cyrus se desenrolar”, continuou.

Veja também:

Jornalista, apaixonada por música, cinema, séries e midias sociais. Defensora dos direitos LGBTQ.

Deixe um comentário

Grupo de mães propõe boicote à Disney por personagem gay

DESTAQUES, DIVERSIDADE, FILMES, SÉRIES & TV, LGBTFOBIA |