O Canadá não cansa de ser maravilhoso, não é mesmo? Depois do primeiro ministro Justin Trudeau anunciar indenização às vítimas de homofobia presas nas décadas passadas, agora foi anunciado um projeto piloto que deve começar pelas escolas da província de Quebec no país. Já testado em 200 escolas, a ideia é  incluir assuntos de orientação sexual no currículo oficial da educação pública do país. Dentre os temas abordados, está o ensinamento de respeito a diversidade sexual.

Crianças a partir dos 5 anos de idade já devem começar pela noção básica de que existem diferentes tipos de família incluindo aquelas com dois pais ou duas mães.

Em Quebec, maior parte da população apoia a medida. Mesmo assim alguns pais foram contra, como a canadense Donatella Garofalo que tem um filho de 10 anos: “Não se trata de religião, mas não é um material adequado à idade!”. Ela acusa o governo de ter uma “agenda de ativistas sexuais” que abusa da inocência de crianças.

Ainda que contra a vontade de uma minoria, o novo plano de ensino deve acontecer já a partir de 2018. O assunto deve ser iniciado com o conceito de família sendo ensinado ainda na infância, e conforme os estudantes forem envelhecendo, vão aprendendo no currículo escolar outras lições sobre sexo e saúde, incluindo homofobia que deve começar a ser debatida entre estudantes pré-adolescentes aos 12 anos de idade.

Em um fórum sobre violência sexual e assédio, o ministro da Educação, Sébastien Proulx, disse: “Eu sei que não é um assunto fácil, eu sei que são questões sensíveis, mas agora temos que dar uma resposta social a uma questão societária de segurança e igualdade de direitos”.

O primeiro-ministro do Quebeque, Philippe Couillard, disse que a educação sexual consistiria em atividades espalhadas ao longo da educação de cada criança, e não em aulas específicas, de acordo com a CBC.


Veja também:

Criador do Põe Na Roda e autor do livro "Um Livro Para Ser Entendido", obra que desmistifica questões do mundo gay para todos os públicos.

Deixe um comentário

Estudantes vão aprender diversidade sexual desde a infância no Canadá