Em sua pacífica mensagem de Natal aos fiéis católicos australianos, o arcebispo de Sidney, Anthony Fisher, afirmou que 2017 foi um ano horrível.

Justificando a afirmação, ele disse que isso se deve especialmente a aprovação do casamento igualitário no país: “Às pessoas de fé, afirmo que este foi um ano terrível. Nossas concepções cristãs de amor e vida foram desafiadas pelo casamento gay e discussões de aprovação da eutanásia na política. A liberdade religiosa na Austrália põe em cheque crimes terríveis cometidos contra nossa igreja.”

Ele terminou sua mensagem fazendo um apelo aos religiosos jovens para restaurarem a esperança na Igreja e na nação mesmo assim: “Nossos jovens não devem se envergonhar da nossa fé, mas sim responder a estes atos.”

Ativistas LGBTs australianos condenaram as declarações do arcebispo, como foi o caso de Rodney Croome: “É uma comparação absurda, mas não esperamos qualquer apoio do arcebispo. Mesmo assim, é triste que ele continue condenando as pessoas. De qualquer forma, ele está certo quando afirma que os jovens devem responder e corrigir todos os erros porque é justamente o que está acontecendo: a maioria esmagadora dos jovens votou a favor do casamento igualitário, inclusive os católicos.”

Australianos comemoram aprovação de casamento gay por mais de 60% da população

Quase 13 milhões de australianos (ou 79% da população) votaram no plebiscito que aconteceu em Novembro e determinou a aprovação do casamento homoafetivo no país. Mais de 60% se disseram a favor da legalização.


Veja também:

Criador do Põe Na Roda e autor do livro "Um Livro Para Ser Entendido", obra que desmistifica questões do mundo gay para todos os públicos.

Deixe um comentário

Arcebispo de Sidney diz que 2017 foi um ano horrível por culpa da aprovação do casamento gay no país