Adam Rippon: o patinador gay anti-Trump é a estrela das Olimpíadas de Inverno

0
14
Publicidade

Adam Rippon já é um dos personagens do Jogos Olímpicos de Inverno 2018. Primeiro atleta americano assumidamente gay e medalhista de bronze na Patinação Artística por equipes em PyeongChang, o patinador conseguiu um sétimo lugar pelo individual masculino nesta sexta-feira (16), com a nota de 87,95, e se classificou para a final da categoria. Favorito, o japonês Yuzuru Hanyu conquistou a maior nota, anotando 111,68 pontos. Completaram o “pódio” da classificatória o espanhol Javier Fernandez e o também nipônico Shoma Uno.

Décimo nono a se apresentar, Rippon não anotou muitos pontos na parte técnica, mas conquistou mais pontos nos quesitos de apresentação. Ele, inclusive, foi melhor nesta composição do que dois outros patinadores que ficaram à sua frente na classificação: o russo Dmitri Aliev e o chinês Jin Boyang. Além de Rippon, os outros dois americanos da prova, Vincent Zhou e Nathan Chen, se classificaram à final. Em entrevista à “NBC” antes da apresentação, Rippon mostrou um pouco do seu bom humor dentro da modalidade: “Honestamente, isso vem sendo incrível. Estando aqui, o evento mais importante foi o de equipes. Patinei bem e sabia que meu objetivo era ajudar a equipe dos Estados Unidos a conquistar uma medalha. Agora vou para a prova individual. Eu sei que não sou um favorito para ganhar as medalhas. E sabe, eu posso até não ser o melhor, mas eu sou o mais divertido. Então, vou dar o meu melhor e patinar com o meu coração.”

(continua abaixo)


Vídeo novo:



Rippon chamou a atenção da mídia por ter enfrentando o braço-direito do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o vice Mike Pence, que é conhecido pela suas posições ultraconservadoras e foi escolhido para chefiar a comitiva do país em PyeongChang. “Refere-se ao mesmo Mike Pence que financiou terapias de conversão para gays (cura gay)? Não posso…”, disse ao jornal USA Today, assumindo que não estaria disponível para o tradicional encontro entre os atletas e o líder da delegação, antes do início dos Jogos. Na verdade, o arranque das provas de patinação artística foi no dia 9, antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, o que deu a Adam uma falta justificada, mas a decisão já estava tomada. “Não vou perder tempo para me encontrar com alguém que, além de não ser amigo dos gays, pensa que eles são doentes”, frisou o atleta.

Apesar do conservadorismo das suas posições (sempre votou contra o casamento gay e leis que se opunham à discriminação sexual) Mike Pence tentou acalmar os ânimos, voltando a negar que tenha financiado tratamentos de “cura gay”: “Não deixe que notícias falsas te distraiam. Eu tenho orgulho de você e de todos os nossos grandes atletas”, escreveu no Twitter, dirigindo-se a Adam.

 

O patinador, alvo de bastantes elogios e críticas nas redes sociais (devida a profunda divisão política existente no Estados Unidos atualmente), também preferiu um tom mais brando: “Não quero que a minha experiência nos Jogos Olímpicos se centre em Mike Pence.”  Afinal, para quem conseguiu estrear na maior competição mundial aos 28 anos (idade tardia para a patinação artística), após uma longa luta para lá chegar, viver o momento é mesmo o mais importante.

A final da patinação artística masculina será na madrugada desde sábado (17) por volta da 1h.

Veja como foi apresentação do Adam na semi final da patinação artística:


Veja também:

Deixe um comentário